Medo de Dentista – A Odontofobia

Define-se “fobia” como o medo irracional que leva alguém a evitar situações, objetos, pessoas ou atividades desagradáveis. Para quem tem fobia de dentista (“odontofobia”), marcar uma consulta pode não ser a coisa mais agradável a se fazer.

Muitas pessoas têm “odontofobia” porque cresceram ouvindo os pais falarem que não gostavam de ir ao dentista, ou porque eram frequentemente ameaçados pelos pais de que, se não fizessem isso ou aquilo, iriam ao dentista, assemelhando a situação a um castigo, e isto as marcou desde a infância.

Outras pessoas dizem ter medo de dentista por terem passado uma experiência negativa no consultório durante algum procedimento ou porque submeteram-se a uma anestesia ou a um procedimento dolorosos.

Se você é uma dessas pessoas que tem “odontofobia”, temos algumas dicas que farão suas visitas ao consultório odontológico serem mais agradáveis:

  1. ESCOLHA UM DENTISTA QUE COMBINE COM VOCÊ
    É importante sentir-se bem com o profissional, principalmente se você já teve alguma experiência desagradável em tratamentos odontológicos anteriores. E, se necessário, procure outro especialista com o qual se sinta mais à vontade. É muito importe que haja uma relação de confiança entre você e seu dentista!
  2. DESCREVA SEUS MEDOS
    Falar sobre o problema, às vezes, é suficiente para aliviar a tensão. Hoje a maioria dos dentistas está habituado e preparado para lidar com a ansiedades e a fobia de seus pacientes; por isso, logo na primeira consulta, é importante expor seus receios e inseguranças. Se não bastar, um psicólogo pode ajudar.
  3. NÃO SINTA VERGONHA
    Muitas pessoas ficam constrangidas e envergonhadas, e acabam por esconder seus medos de submeter-se ao tratamento odontológico. É importante que você saiba que não está sozinho: a odontofobia é um problema frequente que atinge certa de 10% da população mundial.
  4. O QUE MAIS ASSUSTA
    Muitas vezes o medo parece difuso, o que faz com que se torne maior e mobilize grande energia. Por isso, é muito útil descrever e discriminar esse sentimento, identificando o que provoca mais incômodo no tratamento: a injeção, o cheiro típico do consultório, o temor da dor ou qualquer outro aspecto que lhe incomode ou amedronte.
  5. LIVRE DE COMPROMISSOS
    Para as pessoas que enfrentam grande desconforto com o tratamento, “espremer” a consulta entre um compromisso e outro pode ser ainda mais estressante. Em geral, procure agendar um horário quando estiver menos sobrecarregado e puder estar mais relaxado. Para algumas pessoas é preferível uma hora pela manhã, já que com o passar do dia as fantasias assustadoras tendem a aumentar.
  6. A INFORMAÇÃO PODE AJUDAR
    Você pode pedir ao seu dentista que lhe explique cada passo do tratamento e combinar com ele um sinal para que interrompa o procedimento quando você julgar necessário. Geralmente, o fato de acreditar que tem a situação sob controle o ajuda a sentir-se mais seguro.
  7. RELAXE ANTES
    Não consuma alimentos ou bebidas excitantes, como café, chá-mate ou refrigerantes, pouco antes da consulta. É conveniente evitar estas substâncias também na noite anterior, já que a ideia é dormir bem e chegar ao consultório o mais relaxado possível.
  8. VISITAS MAIS FREQUENTES, MENOS PROBLEMAS
    É recomendável realizar uma visita ao seu dentista a cada 06 meses. Esta assiduidade, somada a uma higiene bucal correta, costuma reduzir a necessidade de intervenções mais invasivas – e, portanto, mais temíveis.

Se ainda assim você sentir-se nervoso ou tenso antes de qualquer procedimento, o dentista poderá fazer uso do óxido nitroso, um agente analgésico e sedativo, para fazer com que você relaxe durante o tratamento. Outros medicamentos também podem ser usados, dependendo do nível de medo que o paciente apresentar.

Sem dúvida, um bom dentista e seus auxiliares não medirão esforços para tornar sua consulta uma experiência tranquila e agradável!

Sobre Caroline Marinho

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal do Paraná em 2005; MBA em Gestão Comercial pela IBPEX em 2014; Especialista em Perícias Criminais pelo Verbo Jurídico em 2016; Gerente de Produtos da Sisprodent Soluções Dentárias.

2.081 thoughts on “Medo de Dentista – A Odontofobia