CÁRIE DE MAMADEIRA: o que é e como evitá-la

A persistência na amamentação, seja ela natural ou artificial, com grande frequência e sem qualquer tipo de higiene, pode acarretar na temida cárie de mamadeira, também chamada de cárie rampante. É uma cárie aguda, agressiva, de evolução rápida e que provoca muita sensibilidade e dor, podendo causar a destruição dos dentes de leite em um curto espaço de tempo, e é uma doença que costuma afetar a criança ainda no primeiro ano de vida.

A causa desse tipo de cárie ocorre do seguinte modo: quando a criança adormece, o número e a frequência das deglutições diminuem, assim como o fluxo salivar, que é o responsável por banhar e proteger os dentes das bactérias. A associação desses elementos com o tempo estendido em que a criança permanece dormindo, são suficientes para o enfraquecimento das superfícies dentais.

Clinicamente, esse tipo de cárie se inicia com manchas esbranquiçadas nos incisivos superiores e inferiores, que, mais tarde, podem vir a formar grandes manchas escuras e até mesmo enormes cavidades, podendo até destruir sua coroa clínica.

Outros fatores que podem determinar o aparecimento da cárie de mamadeira são:

  • Adoçar a chupeta com mel ou açúcar para que a criança se acalme e adormeça;
  • consumo excessivo de suco ácidos e refrigerantes na mamadeira durante o dia.

Para combater a cárie de mamadeira, os pais devem evitar oferecer o leitinho da madrugada ou antes de dormir. Esse é o momento de descanso da criança, ela não precisa mamar; neste caso, ela estará sendo induzida a um hábito vicioso e nocivo, que poderá prejudicar seus dentes, principalmente se for adicionado açúcar, achocolatado ou mel ao leite.

Caso a mamada ao deitar seja inevitável, a limpeza da boca deve ser feita imediatamente após cada mamada, seja ela no peito ou na mamadeira, com gaze ou fralda embebida em água filtrada ou outra solução a ser prescrita pelo odontopediatra, caso a criança ainda não tenha os dentinhos; e é preconizado o início da escovação, com escova de dentes, logo após o aparecimento dos primeiros dentinhos. A quantidade de pasta infantil adequada é feita de acordo com cada faixa etária (em caso de dúvida, consulte um profissional), e a quantidade é de, aproximadamente, um grão ervilha. Muita atenção para a criança não ingerir dentifrícios fluoretados, visto que que o flúor é tóxico e pode causar a temida fluorose.

Se o processo carioso se instalar e não for tratado adequadamente, com o passar do tempo poderão aparecer problemas maiores como: dor de dente, grandes cavidades cariosas, restaurações extensas, tratamentos endodônticos, problemas periodontais e, até mesmo, a perda precoce de dentes.

É oportuno ressaltar que no passado, quando não havia preocupação com a saúde bucal como há hoje, era comum a errônea ideia de que a perda de dentes de leite não importava, pois eles seriam substituídos pelos dentes permanentes. No entanto, sabe-se hoje, que isso é um grande equívoco. A perda prematura dos dentes decíduos é catastrófica, causando sérios problemas para a dentição permanente, visto que pode causar retardo ou aceleração na erupção dos dentes permanentes, causando diversos problemas odontológicos.

A convivência harmônica dos dentes decíduos com os permanentes deve estar presente até, em média, os 12 anos de idade, por isso, a preservação dos dentes de leite é fundamental para evitar futuros problemas, inclusive e principalmente, os ortodônticos. E cuidar da dentição desde o início da vida requer pequenos cuidados e gestos simples.

Uma pequena mudança de hábito, poderá mudar a saúde de seu filho! Que tal começar agora?

Sobre Caroline Marinho

Graduada em Odontologia pela Universidade Federal do Paraná em 2005; MBA em Gestão Comercial pela IBPEX em 2014; Especialista em Perícias Criminais pelo Verbo Jurídico em 2016; Gerente de Produtos da Sisprodent Soluções Dentárias.

1.978 thoughts on “CÁRIE DE MAMADEIRA: o que é e como evitá-la